Quando se pergunta a um profissional de saúde

Quando se pergunta a um profissional de saúde, a uma mãe, esposa ou amigo de dependente se ele é favorável a legalização das drogas, a resposta invariavelmente é NÃO! Porque?
Hoje há um anteprojeto que propõe descriminalizar o porte e plantio de maconha, alegando que os “empresários” que dominam este comércio seriam exterminados e existiriam empresas legais para isso. Não acredito nesta boa-fé que eles vão sair da clandestinidade pois vimos isto acontecer com o mercado de cigarros legais e contrabandeados.

O que determina a existência do comércio é o consumidor e não a legalidade da empresa. E o consumidor visa preço, acessibilidade e facilidade. A empresa paga taxas, impostos, funcionários, estoque e vai repassar este custo ao consumidor. Imagine o marketing da maconha na TV, revistas, jornais, eventos! E a família não poderá fazer nada pois estará dentro da legalidade.

As apreensões diárias de maconha, cocaína, crack vem mostrando quantidades cada vez maiores. Se o trafico tomou a dimensão que tem hoje, foi porque a cada dia aumenta o numero de usuários que consome drogas. E a causa de 80% das iniciações ao uso de qualquer tipo de droga é a associação entre curiosidade e facilidade de acesso na infância e adolescência. Em seguida vem a legalidade (como no álcool e cigarro) e a permissividade dos amigos, pais e sociedade.

Temos visto cada vez mais menores de idade envolvidos em assaltos nas ruas, em lojas, restaurantes, no transito para financiar o consumo próprio e fornecer celulares, rádios, cartões bancários, objetos de luxo para os traficantes. O dependente acaba sendo um aliado do traficante pois o ajuda a burlar a lei e a repressão por ter interesse na manutenção deste comércio.
Se estamos fazendo campanha para diminuir o consumo de drogas no mundo todo, estamos na contra-mão da historia se o Congresso aprovar este projeto.

Alegar que a ilegalidade só aumentou o consumo e a marginalidade , portanto não funcionou, seria o mesmo que combater a criminalidade soltando todos os presos pois isto não diminui a violência e os crimes.
Sempre haverá pessoas que precisam das drogas para aliviar suas angustias e frustrações, adolescentes que a usarão para se auto-afirmar, participar de grupos, dar vazão a rebeldias e confrontar-se com a sociedade injusta e violenta. Outros a usarão para se alienar da realidade, curtir sensações extra-corporais ou experimentar êxtases químicos.

A droga, como a violência ou a criminalidade é um problema que não se acabará nunca pois acompanha a existência humana desde os primórdios mas não podemos aceita-la pois seria abrir mão de valores humanos que o homem conquistou na sua evolução.

A única política que dá certo com as drogas, é diminuir o numero de consumidores e isso só será possível se os políticos fizerem leis que dificultem o comercio, as autoridades médicas disponibilizarem tratamento para os dependentes e o governo investir muito na educação e esclarecimento dos jovens mostrando que as drogas só os levam a destruir suas possibilidades de vida e sucesso.

 

A força do hábito
A maioria das pessoas é escrava das opiniões
alheias porque não se conhecem muito bem.

Quando se pergunta a um profissional de saúde

O condutor e o elefante
Terapia Motivacional

Rua Vergueiro,1421 - 7o. and. cj 701
Paraíso - São Paulo/SP
Fone: (13) 3022.5681

Av ana costa,482 CJ 911
Santos/SP
Fone 13-3022.5681

E-mail: magali.hemzo@gmail.com
SKYPE - magali.hemzo